zenah_mastologia

Implantes mamários

Brasil e Estados Unidos são os dois países onde as cirurgias estéticas são mais frequentes! Estima-se que cerca de 1.400.000 procedimentos sejam realizados anualmente, com destaque para a lipoaspiração e colocação de implantes mamários, também conhecidos como próteses mamárias!

Antes de agendar a colocação de uma prótese mamária, as mulheres devem realizar uma consulta ginecológica para avaliação clínica das mamas, além da solicitação dos exames adequados para rastreamento de eventuais doenças mamárias. Para pacientes mais jovens, com menos de 35 anos de idade e sem fatores de risco, a ultrassonografia mamária é suficiente na maioria das vezes. Pequenos cistos ou até mesmo nódulos devem ser avaliados antes de qualquer intervenção cirúrgica!!!

Para pacientes acima de 40 anos, no entanto, a mamografia já está indicada, além da avaliação clínica de um ginecologista ou mastologista!

Os implantes são colocados através de um pequeno corte na pele, que pode ser feito no sulco logo abaixo das mamas, ao redor da aréola ou ainda na axila da paciente. Além disso, a prótese pode ficar na frente ou atrás do músculo peitoral. Algumas pacientes, principalmente aquelas que já tiveram uma ou duas gestações, desejam, além de aumentar o tamanho, dar uma “levantadinha” nas mamas. Este procedimento é chamado de mastopexia e pode ser realizado no mesmo momento da colocação das próteses. Todos esses aspectos devem ser conversados no momento da consulta com o cirurgião plástico, que irá mostrar também os tipos de próteses, salinas ou de silicone, além de definir qual o volume ideal para cada paciente.

Atualmente os implantes são extremamente resistentes à compressão e não representam impedimento à realização de mamografia. Ou seja, o rastreamento para o câncer de mamas continua sendo obrigatório, independente da prótese mamária!

Por outro lado, a avaliação da integridade dos implantes pode ser realizada através da ultrassonografia das mamas e, quando houver suspeita de rotura da prótese, a ressonância magnética pode trazer informações valiosas!

Uma última questão que precisa ficar clara é em relação à necessidade de troca das próteses. Atualmente a troca dos implantes não está necessariamente condicionada ao tempo de sua colocação, podendo permanecer por mais de 10 anos! Os principais motivos que justificam uma nova cirurgia para troca dos implantes são a insatisfação com o presente resultado estético, a rotura do implante ou a contratura capsular sintomática, isto é, o endurecimento da cápsula que se forma ao redor da prótese, principalmente quando acompanhado de dor ou alteração do formato da mama.